Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Poeta Erótico

Sinto a fome por ti quase sobrenatural
só por isso, se aqui estivesses te castigava
com um objecto ardente que resvalava
para dentro onde acontece o delírio triunfal.

é como se estivesses debaixo desta mesa
e numa pose lúbrica submissa sensual
pudesses chupar-me como se fosses a tal
conseguindo transformares-te sobremesa

não aguentei, estou no escritório, escondi-me
maldito sangue, maldito desejo, sacudi-me
como se fosse tirar de mim a sujidade

fricciono-me, imaginando que penetro
teu corpo triunfal voluptuoso aberto
como o seio desnudo da Liberdade

Arquivo

Em destaque no SAPO Blogs
pub